Cineflix chega a Londrina com projeto de filmes alternativos

Marian Trigueiros – Equipe Folha26/04/2016 — 09:42

Apreciadores de filmes que estão fora do circuito comercial terão, a partir desta terça-feira (26), um novo local para frequentar: a rede Cineflix Cinemas, que começa a funcionar juntamente com a inauguração do Aurora Shopping. O complexo terá cinco salas de exibição, sendo três no modelo stadium e duas VIPs (com poltronas de couro reclináveis por acionamento elétrico). Uma delas será voltada ao projeto “Cine Belas Artes”, com uma programação de filmes de cunho mais artístico.

Apesar de não haver uma grade fixa, a promessa é de que vários lançamentos cheguem à cidade tão logo as distribuidoras coloquem em circulação no Brasil. Como exemplo, o complexo já inaugura trazendo à cidade duas produções que ainda não tinham estreado nas salas locais, embora já estejam em circuito nacional: “Ave, César!”, dos irmãos Cohen, e “Nise – O Coração da Loucura”, com Glória Pires interpretando a psiquiatra que inovou ao introduzir a arte como terapia ocupacional a pacientes internados em sanatórios.

Juliano Tortelli, gerente de marketing da Cineflix, conta que tornar filmes considerados “alternativos” mais acessíveis era uma solicitação dos clientes de outros Estados em que a rede está presente (São Paulo, Mato Grosso, Goiás e Rio Grande do Sul e Distrito Federal). “Implantamos o projeto em várias praças e tivemos uma ótima experiência. A procura é sempre grande. Acreditamos que Londrina também tenha um grande público com esse perfil”, aposta.
Segundo ele, a rede quer oferecer algo a mais, porque esses filmes têm sua projeção geralmente restrita aos cinemas dos grandes centros. Para tanto, as produções serão exibidas com mais frequência quando estiverem acontecendo festivais. Ou seja, de forma sazonal, porém, garantida.

O Festival de Cannes (que acontece em maio na França), segundo o gerente, é uma das épocas em que mais filmes estarão disponíveis. “Como a oferta é maior nesse período, chegamos a exibir três ou quatro filmes ao mesmo tempo”, adianta. O mesmo também acontece durante Festival Varilux de Cinema Francês, que reúne as melhores produções francesas, e os filmes alternativos do Oscar.

O cinema brasileiro, por sua vez, não fica atrás. A rede promove anualmente a “Semana Tupiniquim”, com uma programação especial. “São exibidos alguns dos melhores longas-metragens de cunho autoral e circuito restrito, produzidos ao longo do ano anterior, que foram premiados em festivais nacionais e internacionais. Realizamos uma seleção de títulos relevantes que refletem a pluralidade da nossa cinematografia bem como a qualidade das produções atuais”, completa Tortelli.

Projetor a laser

Outra novidade interessante é que a rede traz a Londrina o primeiro projetor digital a utilizar laser como fonte de iluminação, o chamado NC1100L. “Será o primeiro do Brasil”, afirma. Ele explica que essa tecnologia garante uma distribuição uniforme de luz em todos os cantos e na parte central da tela, algo que não acontece com os projetores digitais comuns. “A sensação é de que você está vendo uma grande tela de LED com alta nitidez e luminosidade. Além da superior qualidade, a imagem fica totalmente homogênea”, destaca.

Para Tortelli, o laser abre um novo capítulo no mercado exibidor. “É uma tendência. Saímos da película, passamos para o digital, veio a transmissão de dados via antena e agora o aprimoramento da imagem com o laser.”

O projetor estará em uma das salas VIP; as demais seguem com o digital, incluindo a opção em 3D. Além da projeção a laser, a Cineflix vai contar com transmissões via satélite de eventos ao redor do mundo, como jogos, óperas, peças de teatro e concertos.