Construção de novo shopping em Piracicaba deve gerar 5 mil empregos


Do G1 Piracicaba e Região – 10/05/2015 17h15

O complexo de um novo shopping em Piracicaba (SP) vai gerar até cinco mil empregos, entre postos diretos e indiretos, de acordo com um dos representantes da unidade no município, Yuri Cerchiari. O local tem inauguração prevista para 2017 e vai funcionar na área onde era a fábrica de tecidos Boyes. O projeto vai ter uma usina própria para geração de energia, segundo a administração.

Segundo Cerchiari, durante as obras, serão oferecidos dois mil empregos diretos. Já após a abertura do shopping, estão previstos mais 1,5 mil postos. “E ainda há os cargos indiretos de prestação de serviços que o empreendimento proporcionará”, disse.

A construção do shopping, anunciada em fevereiro de 2015, teve investimento de R$ 360 milhões.

O centro de compras será localizado às margens do Rio Piracicaba em 42 mil metros quadrados de área construída. Destes, 28,2 mil m² serão ocupados pela área de vendas.

O shopping terá seis megalojas, um supermercado, 150 lojas satélites, 16 unidades de fast-food, cinco restaurantes, seis salas de cinema, parque de diversões, academia, além de hotel com 210 unidades e 1,3 mil vagas de estacionamento.

Usina movida pela força hidráulica do Rio Piracicaba volta a funcionar  (Foto: Claudia Assencio/G1)
Usina movida pela força hidráulica do Rio Piracicaba volta a funcionar (Foto: Claudia Assencio/G1)

Arquitetura
O espaço onde a usina está localizada é tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Piracicaba (Codepac). “O processo de tombamento passou por atualizações e a área está inserida na medida em que reconhece o local como patrimônio histórico da cidade”, explicou o presidente do órgão Mauro Rontani.

Os prédios tombados que abrigam a antiga fábrica conservam a arquitetura presentenas cidades mais inddustrializadas, no período entre no final do século 19 e o começo do século 20.

O Diretor do Departamento de Patrimônio Histórico do Instituto de Pesquisas e de Planejamento de Piracicaba (Iplap), Marcelo Cachioni, ressalta as características do padrão inglês, como o da cidade industrial Manchester. “São construções com alvenaria aparente com possibilidades de ampliação”, ressaltou. “Geralmente, nessas fábricas, o que acontecia era que o maquinário chegava e os prédios eram feitos em volta”, lembrou.