Poupatempo da Saúde prevê 30 mil consultas por mês

Prefeito materializa promessa de campanha com locação de espaço de 1,5 mil m2 em Shopping de Rio Preto para instalar 40 consultórios de especialidades; local deve começar a funcionar dentro de 120 dias.

Aumentar de 15 mil para 45 mil mensais o número de consultas especializadas na rede pública de saúde de Rio Preto. Este é o objetivo do Poupatempo da Saúde. Anunciado nesta segunda-feira, 26, pela Prefeitura. Hoje, esse tipo de atendimento é considerado o grande gargalo da rede.

O espaço funcionará no Plaza Avenida Shopping, o único da área central da cidade que manifestou interesse no empreendimento. Dentro de 120 dias, no fim de outubro, os 40 consultórios começarão a funcionar. Com exceção de clínica geral, pediatria, ginecologia e obstetrícia, todas as outras especialidades estarão no local. O funcionamento será das 07h às 22h de segunda a sexta-feira. A capacidade é de atender 1.920 pacientes por dia, mas, inicialmente, a previsão é de incrementar em até 30 mil a quantidade de atendimentos mensais.

O Poupatempo, a principal bandeira de campanha do prefeito Edinho Araújo (PMDB), contara, com mezanino e térreo, onde ficará a sala de espera composta por 390 lugares. No total, o espaço tem 1.498 metros quadrados. As partes da construção, elétrica, hidráulica, rede de informática e comunicação visual serão feitas pelo shopping. A Prefeitura arcará com o aluguel, mobiliário e pessoal.

O paciente, como já é praxe na rede, será encaminhado de sua Unidade Básica de Saúde (UBS). No Plaza, ele verá o especialista e, ao final da consulta, poderá agendar os exames requisitados e também o retorno.

De acordo com o secretário de Saúde, Eleuses Paiva, a rede não tinha espaço físico para incrementar o número de consultas. Normalmente, são realizadas 15 mil por mês. Com o mutirão iniciado em abril, essa média foi para 19 mil – em três meses, foram feitas 9,1 mil a mais, mas a quantidade ainda não era suficiente para atender a demanda.

O aluguel será de R$ 45 mil mensais. O contrato de cinco anos, prorrogável por igual período, foi assinado nesta segunda-feira, 26. De acordo com Eleuses, hoje a Prefeitura desembolsa R$ 98,7 mil com alugueis, mas eles serão reajustado de modo que a locação do novo espaço custe apenas R$ 15 mil a mais por mês aos cofres públicos. Para aumentar a capacidade da rede, novos profissionais deverão ser contratados. O objetivo é realizar concurso, mas enquanto isso não acontece o trabalho será feito por terceirizados.

“Muito mais que uma estrutura física, o Poupatempo é uma filosofia de trabalho. Queremos um modelo que tenha a mesma qualidade do Poupatempo do Estado: mais demanda sem perder qualidade, com  resolutividade e, mais que isso, humanizado”, diz o secretário. Além do Poupatempo da Saúde, outra medida que pretende otimizar a rede é o incremento da atenção básica, ou seja, do número de equipes que visitam as casas dos moradores. Em 60 dias, objetivo é aumentar de 33,8% para 47,8%. “Todos os municípios  quando ampliam a estratégia de saúde melhoram os índices”, afirma Eleuses.

Diário da Região, Cidades, 27/06/17.